A Operação Lei Seca bateu a marca de 3 milhões de motoristas abordados. Em nove anos de atuação, a operação tem contribuído para a mudança de hábito da população fluminense. A cada ano, o número de pessoas alcoolizadas flagradas ao volante vem caindo, hoje esta redução é de 45%.

Pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira (18.10) indica que o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, tem 59% dos votos válidos, enquanto o candidato do PT, Fernando Haddad, aparece com 41%. No levantamento da semana passada, o candidato do PSL tinha 58% dos votos válidos, e o petista, 42%. 

No levantamento anterior, feito entre 17 e 20 de agosto, os percentuais de intenção de voto eram os seguintes: Romário Faria: 14%; Eduardo Paes: 12%; Anthony Garotinho: 12%; Tarcísio Motta: 5%; Indio: 3%; Pedro Fernandes: 2%; Marcelo Trindade: 1%; Marcia Tiburi: 2%; André Monteiro: 1%; Dayse Oliveira: 1%; Wilson Witzel, 1%; Luiz Eugênio: 0%; brancos/nulos/nenhum: 35%; não sabe: 11%.

O pagamento do salário de agosto do funcionalismo estadual será antecipado. O depósito deve ser feito até sexta, informou o governador Luiz Fernando Pezão ao ser questionado pela Coluna. Pelo calendário oficial, o crédito ocorre no 10º dia útil, que cairá apenas em 17 de setembro.

A pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira (7) aponta que 50% do eleitorado fluminense não têm nenhum interesse nos programas do horário eleitoral de propaganda gratuita na TV para o governo do RJ. Os programas começaram a ser exibidos no dia 31 de agosto. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo” e faz parte da consulta sobre os candidatos ao governo do Estado.

A propaganda eleitoral no rádio e na TV começa amanhã, mas apenas três candidatos ao governo declararam despesas com produção audiovisual até o momento. Com 3 minutos e 43 segundos de propaganda e 12 inserções por dia, a campanha de Eduardo Paes (DEM) diz ter gasto R$ 199.200 para contratar uma produtora.

O governo do Rio entrou ontem com uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal contra o aumento de 5% para servidores do Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria que ameaça a permanência do estado no Regime de Recuperação Fiscal. Na ação, o governador Luiz Fernando Pezão justifica que a saída do plano de ajuste levará o estado ao "caos financeiro e à derrocada final das finanças", com prejuízo de todos.