Começam a funcionar, a partir de hoje, os radares fixos a laser instalados na Ponte Rio-Niterói. Equipados com detectores que emitem sinais capazes de calcular a velocidade de um veículo em qualquer ângulo, os aparelhos foram instalados em oito pontos. No sentido Rio, o equipamento foi colocado depois do pedágio, na descida do vão central, na grande reta e na reta do cais. No sentido Niterói, foi instalado na reta do cais, na grande curva, na descida do vão central e na chegada do pedágio. 

Quatro meses após declarar o fim do surto da febre amarela, o Ministério da Saúde anunciou ontem que usará doses fracionadas para imunizar as populações dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia contra a doença. A estratégia emergencial, adotada pela primeira vez no país, é usada somente em situações de alto risco de disseminação da doença. A expectativa é atender 19,7 milhões de pessoas, sendo 10 milhões no Rio, entre fevereiro e março.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro tem esta data oficializada, através da Lei Estadual n° 3.671, de 11 de Outubro de 2001, em homenagem aos companheiros tombados no cumprimento do dever desde o nosso primeiro herói, Sargento Willians, em 1866, até ao último camarada que, com suas vidas, escreveram as páginas gloriosas do CBMERJ.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) abre, nesta segunda-feira (08.01), as inscrições para a edição 2018 do Projeto Botinho. A colônia de férias da corporação acontecerá entre os dias 17 e 31 de janeiro em 30 praias de todo o Estado. As atividades, que são gratuitas, vão beneficiar crianças e adolescentes de 7 a 17 anos.

Após reunião no Palácio do Planalto, em Brasília, os governos federal e do Rio de Janeiro anunciaram que irão elaborar, em até 30 dias, um plano integrado de segurança para o estado. Participaram do encontro os ministros Torquato Jardim (Justiça), Raul Jungmann (Defesa) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional), além do governador Luiz Fernando Pezão.

A sociedade brasileira enfrenta um momento crítico nas finanças públicas, e dependerá da sua posição nas urnas sobre o que fazer, se o país dará um salto de qualidade no manejo das finanças ou continuará cambaleante, em círculos, alternando surtos de crescimento, só na aparência sustentável, com fases corretivas em meio à inflação e recessão. Como a de que se está saindo.