Febre Amarela: Meta é imunizar 300 mil no sábado

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS) divulgou ontem que não haverá distribuição de senhas no Dia D de vacinação contra a febre amarela, que ocorre no próximo sábado em todo o estado. A meta é aplicar a vacina em todas as pessoas que comparecerem aos postos de vacinação entre 8 e 17 horas. As 232 unidades de saúde espalhadas pela capital funcionarão exclusivamente para a campanha de prevenção à doença nesse horário. A expectativa da prefeitura do Rio é imunizar de 300 mil a 400 mil pessoas.

Na ocasião, a dose será fracionada nos 15 municípios fluminenses que começam hoje a utilizar o novo método: Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Queimados, São Gonçalo, São João de Meriti e Seropédica, além da capital. A SES alerta que crianças de nove meses a menos de dois anos, pessoas com condições clínicas especiais - vivendo com HIV/Aids, ao final do tratamento de quimioterapia, pacientes com doenças hematológicas - , gestantes e viajantes que desejarem o certificado internacional seguirão tomando a dose integral da vacina. No público-alvo da vacina fracionada estão pessoas entre 2 anos e 59 anos de idade, mulheres que estejam amamentando crianças maiores de seis meses e idosos com mais de 60 anos que tenham sido avaliados por um clínico-geral.

A fração corresponde a um quinto da dose original, e oferece proteção por, pelo menos, oito anos. A prefeitura do Rio destacou que não houve casos confirmados de febre amarela na cidade, nem em seres humanos, nem em macacos. Por conta disso, a recomendação é que as pessoas incluídas no grupo de contraindicação não tomem a vacina.

 

Vassouras e Rio das Flores

Em dados atualizados ontem à noite no informe epidemiológico da febre amarela, a SES confirmou mais três casos da doença no estado do Rio. Com isso, subiu para 23 o número de casos em 2018, apenas quatro a menos do que em todo o ano de 2017. Os novos registros vieram de três municípios do Sul Fluminense, vizinhos uns dos outros: Valença, cuja prefeitura já havia confirmado o 13 Q caso na cidade; Vassouras, em um jovem internado na Santa Casa de Barra do Piraí (cidade vizinha); e Rio das Flores. Nenhum deles apareceu no mapa da febre amarela em 2017.

 

Bombeiros na campanha

Além dos postos de saúde municipais de cada cidade, 29 UPAs do estado, dez hospitais estaduais, oito tendas montadas pela Secretaria de Estado de Saúde, 30 quartéis do Corpo de Bombeiros Militar e cinco unidades da Polícia Militar participarão da vacinação contra a febre amarela no Dia D. A partir de hoje e também na sexta e no sábado, será montado um posto extra de vacinação no pátio do Centro Administrativo São Sebastião, na sede da Prefeitura do Rio. O posto vai funcionar próximo ao estande do TAXI.RIO, das 9 às 12 horas e das 13  às 16 horas. As doses fracionadas serão aplicadas por profissionais da Secretaria Municipal de Saúde. No Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Uerj, será montado um dos polo de imunização na capital. E o Hemorio, no Centro, seguirá oferecendo a vacinação para os doadores até sábado.

 

Macacos não transmitem o vírus

Infectologistas destacam sempre a necessidade de alertar à população em geral que macacos não transmitem a febre amarela em nenhuma circunstância. Eles armazenam o vírus após a picada dos mosquitos infectados, mas não são capazes de infectar outros macacos ou seres humanos. Agressões, envenenamentos e assassinatos dos animais da espécie estão se tornando comuns devido ao desconhecimento dos detalhes da doença. Além de serem cruéis, tais práticas dificultam a identificação de áreas onde o vírus da febre amarela silvestre está circulando. Os macacos infectados funcionam como termômetros da doença, e ajudam a direcionar a estratégia de combate e a campanha de vacinação nos locais de risco.

 

Fonte: Extra e O Dia