Estamos implorando para população se vacinar', diz secretário de Saúde sobre febre amarela

O Secretário Estadual de Saúde do Rio, Luiz Antonio Teixeira Júnior, afirmou nesta terça-feira que a campanha de vacinação fracionada para a febre amarela, programada para o começar no dia 19 de fevereiro, não será antecipada por conta das novas confirmações de mortes ocasionadas pela doença. 

Segundo Teixeira Júnior, o Rio dispõe de doses para toda a população, e o adiantamento só aconteceria caso a demanda por vacinas fosse maior do que a ofertada nos postos de saúde. O secretário ainda acrescentou que tem implorado pessoalmente para que as pessoas se vacinem.

 - Todos os municípios têm doses suficientes e nós atendemos a todas as solicitações de reposição. Eu visitei quase todos os municípios do estado pregando a vacinação. Estamos implorando a população para vacinar. Não há motivo para iniciarmos o fracionamento nesse momento, enquanto temos doses para todo o estado -  declarou durante evento no Hospital Pedro Ernesto, da Uerj.

Mas parece que a confirmação de mais três casos de febre amarela em Valença, no Sul Fluminense, entre elas duas mortes, provocou uma corrida aos postos de vacinação em todo o estado. Ao todo, foram confirmadas três mortes e uma pessoa está internada. Em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, a fila no posto de saúde Aníbal Viriato de Azevedo começou a ser formada ainda durante a madrugada. O atendimento, no entanto, só começou por volta das 8h.

Muitos reclamaram que não conseguiram se vacinar na segunda-feira, mas a prefeitura afirma que o posto está abastecido com doses da vacina suficientes para a população. Há relatos ainda de que faltam doses também em Irajá, na Zona Norte do Rio.

Apesar disso, a cobertura vacinal está muito aquém do necessário. A estimativa da Secretaria estadual de Saúde é que mais de oito milhões de pessoas (cerca de 60%) de um público alvo de 14 milhões — incluindo grupos inseridos em 2018 pelo Ministério da Saúde, como os idosos com aval médico — ainda não foram vacinadas.

Na capital, a Secretaria municipal de Saúde informa que apenas 1,69 milhão procurou os postos no ano passado para tomar a vacina, sendo necessário imunizar outros dois milhões. Porém, diante dos novos casos da doença e da notícia de que quatro macacos-prego foram achados mortos nos últimos dois dias numa via de acesso à Floresta da Tijuca, também houve correria aos centros de saúde e às clínicas da família da prefeitura do Rio.

Em todo o estado, além dos três mortos, há um paciente de Valença internado em Resende com diagnóstico confirmado de febre amarela. Há outros sete casos sob investigação — um morto e seis internados — cinco deles moradores de Valença.