Witzel faz balanço e admite atraso em metas para cem dias

 

Quando fez a primeira reunião com o secretariado, no início de janeiro, o governador Wilson Witzel anunciou metas que prometeu cumprir em cem e 180 dias . Mas, em apresentação feita recentemente na Associação de Magistrados do Estado do Rio (Amaerj), Witzel fez um balanço com muitas pendências, que podem comprometer o resultado final. Embora tenha apresentado pontos que, segundo ele, estão dentro do cronograma ou adiantados, promessas importantes, como a de aumentar em 20% a taxa de elucidação de crimes no estado e de consertar sirenes para alerta de chuvas em áreas de risco de 12 municípios, estão atrasadas.

No encontro com os juízes, há dez dias, Witzel divulgou o caderno “Balanço dos Primeiros 40 dias de Governo”. Nele, lista o status das iniciativas adotadas até agora: 115 acompanhadas, 108 planejadas, 78 iniciadas e apenas seis concluídas. Ele também cita 34 reuniões individuais com secretarias. Além disso, menciona que 35 entregas/metas e 14 iniciativas foram revisadas; dez iniciativas, incluídas.

Na área de segurança, um dos pilares de sua campanha, foi pontuado que a recuperação de PMs cedidos avançou bem, mas a melhoria na qualidade da investigação e a implantação do boletim policial on-line vão demorar mais. O governador exibiu números do Instituto de Segurança Pública (ISP), destacando a redução de números de homicídios, letalidade violenta e roubos de carga e veículo em janeiro passado em relação ao mesmo mês de 2018.

Quatro iniciativas da Polícia Civil, como de operacionalizar um departamento de investigação de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, estão atrasadas. Mas estaria dentro do cronograma a meta de combate ao roubo de veículos e carga, com 12 operações realizadas.

Na educação, chamou atenção o fato de não haver um plano específico para enfrentar o sério problema de falta de vagas, já que o estado está com 16 mil alunos ainda fora das salas de aula. A única promessa que prevê aumento de vagas é a de criação de duas escolas militares.

Um dado curioso foi o resultado para a área de comunicação em que foi comemorado o fato de, em 40 dias, o governo já ter 4.200 novos seguidores em suas redes sociais, nas quais também houve, segundo o balanço, um aumento de 368% de menções à nova gestão. Mais da metade dos secretários de estado já fez media training — curso para melhorar a relação com a imprensa. Na publicação, Witzel também divulga o que seria o conceito para os três primeiros anos de governo: 1º ano, “Vamos virar o jogo”; 2º, “Virando o jogo”; e 3º, “Viramos o jogo”.

O diagnóstico não foi bem recebido pelo presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Rio, Fernando Bandeira:

— A Polícia Civil hoje está vivendo um drama sério, e piorando cada vez mais.

Fonte: O Globo