Campanha contra febre amarela começa na Central do Brasil na segunda-feira

 

A Central do Brasil foi o local escolhido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) para realizar uma nova ação de bloqueio contra a febre amarela. A vacinação acontecerá de 18 a 21 de fevereiro, das 8 às 13 horas. Segundo a pasta, a expectativa é que cerca de 500 pessoas sejam imunizadas nos quatro dias.

O objetivo da campanha o vacinar 4 milhões de pessoas e alcançar a cobertura vacinal de 95% do público-alvo. Até o momento já foram imunizados cerca de 11 milhões de pessoas, o que representa a 73% da meta.

Para alertar a população com relação à importância da vacinação e evitar um surto da doença, a SES montou uma estratégia de imunização que vai até maio com 35 postos de vacinação em lugares diferentes. Além da Central do Brasil, as doses padrão estarão disponíveis na Praça XV, Calçadão de Nova Iguaçu, São João de Meriti, Rodoviária Novo Rio, Ceasa, Mercado São Pedro, etc.

Edmar Santos, secretário de Estado de Saúde, explica que a SES elaborou um planejamento amplo com a finalidade de reforçar o cinturão de bloqueio contra a doença.

- São lugares estratégicos em que haverá postos para ampliar a cobertura vacinal até maio. A dose é a garantia contra a febre amarela que também se encontra disponível o ano inteiro nos postos municipais. É importante que a população se proteja com a vacina - alertou Edmar.

No posto fixo montado na Central do Brasil, 12 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, vão atender a população. O Corpo de Bombeiros também participará da campanha com corpo técnico e suporte na parte estrutural.

A Praça XV, no Centro, será o segundo local de atendimento do posto fixo de vacinação da SES. Ele funcionará de 25 a 28 de fevereiro, no mesmo horário da primeira ação. A partir de março, haverá postos fixos na Central do Brasil e na Praça XV e volantes: Calçadão de Bangu, Praça das Nações, Rodoviária de Campo Grande, Shopping Nova América, entre outros locais, com vacinação até o dia 30 de maio.

Segundo o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe, a vacina tem restrições para alguns grupos.

 - Ela não é indicada a bebês menores de 9 meses, pessoas com contraindicações especiais (pacientes imunodeprimidos, com doenças hematológicas graves, entre outras) e grávidas - explicou Chieppe.

Fonte: O Dia